EDP e Galp formam consórcio de 1,5 mil milhões para o hidrogénio

EDP e Galp formam consórcio de 1,5 mil milhões para o hidrogénio

A EDP e a Galp uniram forças entre si e ainda com outras empresas nacionais e internacionais para criar um consórcio de 1,5 mil milhões de euros até 2030 em Sines, avança a Capital Verde.

O Governo já verificou que este projeto respeita os requisitos mínimos a nível europeu para ser apresentado no âmbito de uma candidatura portuguesa ao estatuto IPCEI – Projeto Importante de Interesse Europeu Comum, que permitirá aceder a fundos comunitários para financiar este projeto.

Já na semana passada foi divulgado que existe outro projeto de hidrogénio, o da Bondalti Chemicals, que vai ser instalado em Estarreja e que, até 2030, está estimado em 800 milhões, embora até 2040 se conte com uma soma de investimento de 2,4 mil milhões de euros.

Em declarações à Capital Verde, o secretário de Estado da Energia, João Galamba, revelou ainda um terceiro projeto, da empresa Fusion Fuel, com sede em Évora. Este projeto estará mais focado na criação de uma fábrica de equipamentos [eletrolisadores] para a produção de hidrogénio. A empresa já anunciou que quer investir 488 milhões de euros em cinco projetos até 2025.

Já o projeto Green Flamingo, um dos primeiros a ser divulgado a nível nacional, avança também para esta fase de pré-candidatura ao IPCEI, aliado a outras empresas nacionais e internacionais, ainda não reveladas.

Estas notícias surgem depois de o Ministério do Ambiente e Ação Climática ter anunciado, no domino passado, que recebeu “74 manifestações de interesse relacionados com projetos de investimento na fileira industrial do hidrogénio”. Segundo um comunicado divulgado pelo ministério liderado por João Pedro Matos Fernandes “os investimentos propostos perfazem cerca de 16 mil milhões de euros, ou seja, o equivalente a 7,5% do PIB português”.