Reciclagem aumenta em 2020 mas desilude. Lixo diminuiu

Reciclagem aumenta em 2020 mas desilude. Lixo diminuiu

A EGF, empresa do Grupo Mota-Engil/Urbaser que é responsável pelo tratamento e valorização de resíduos de 60% da população portuguesa, registou em 2020 um aumento na recolha seletiva, ou seja de lixo separado de acordo com o processo de reciclagem.

Contudo, o crescimento ficou significativamente abaixo das expectativas. Paralelamente, verificou-se um decréscimo da produção total de resíduos, de 5%.

No conjunto do ano passado, a EGF nota um aumento de 4% na reciclagem face a 2019. Todavia, em fevereiro de 2020, antes dos efeitos da pandemia, a recolha seletiva crescia 19% face ao período homólogo e “tudo indicava que seria um ano de crescimentos acentuados”, explica a EGF, no comunicado enviado às redações.

Já ao nível da produção de resíduos, no mesmo período, notou-se uma descida de 5%, contrariando a tendência crescente dos últimos anos.

“Há a destacar os efeitos da pandemia nestes resultados, dos quais se realçam a maior presença das famílias em casa (onde se recicla mais) e, também por isso, a deslocação da produção de resíduos para as áreas periféricas das cidades, o fecho do comércio, a quase ausência de turismo e alteração de hábitos de consumo”, justifica a EGF.