Eco-hotel de luxo vai nascer em Santiago do Cacém num investimento de 1,3 milhões

Eco-hotel de luxo vai nascer em Santiago do Cacém num investimento de 1,3 milhões

A portuguesa Tellus vai construir um eco-luxury hotel em São Francisco da Serra, no concelho de Santiago do Cacém, que será um projeto-piloto na área do turismo sustentável.

O hotel representa um investimento de 1,3 milhões de euros, dos quais 500 mil euros provêm de um financiamento EEA Grants, um mecanismo financeiro com fundos da Islândia, Liechtenstein e Noruega para apoiar projetos em 15 países europeus com o objetivo de “uma Europa mais igual, em termos sociais e económicos”.

Laura Moreira, co-fundadora da Tellus, indica ao Negócios que a nova unidade de turismo rural será de quatro estrelas e terá no total 12 quartos, incluindo quatro suites e quatro casas modulares, para além de um bar e de um spa.

A Tellus nasceu em 2017, então como empresa de consultoria, mas “foi evoluindo para a consultoria em sustentabilidade e agora decidiu avançar com este projeto”. O empreendimento é um projeto da Tellus em parceria com a norueguesa Reframe Arkitektur.

A nova unidade de eco-turismo de luxo será construída num terreno de quatro hectares adquirido pela empresa “há cerca de três anos”, adianta Laura Moreira.

O projeto terá por base o conceito de economia circular, que será aplicado quer no design quer na construção, incluindo a escolha dos materiais.

“O empreendimento não terá um único tijolo. E apenas terá cimento nas fundações”, refere a co-fundadora da Tellus.

O conceito, explica, passa por poder reutilizar os materiais. “Se daqui a, digamos, 15 anos o hotel for desmantelado, não haverá impacto”.

Paralelamente, a Tellus pretende dar fomação a outros hoteleiros ou gestores de negócios para apoiar a transição para um modelo circular de economia.

Neste momento, “estamos na fase de entrega dos projetos de especialidade” e, diz Laura Moreira, “esperamos iniciar a construção em julho”. O processo de construção, modular, permite que as obras sejam mais rápidas e a empresa estima que a unidade esteja concluída em oito meses, a tempo da abrir portas ao público a 22 de abril do próximo ano.