Ford Europa promete ser totalmente elétrica em 2030

Ford Europa promete ser totalmente elétrica em 2030

A Ford Motor vai mudar o seu negócio drasticamente na Europa. Depois de, em 2020, não ter vendido absolutamente nenhum veículo elétrico no Velho Continente, a marca almeja não vender outra coisa senão elétricos até ao final da década.

O primeiro passo a dar impulso a estes planos é o investimento de mil milhões de dólares que a fabricante automóvel anunciou esta quarta-feira, e que vai ser feito na unidade que detém na Alemanha. Neste espaço, vai passar a ser fabricado um modelo elétrico dentro de dois anos.

No que toca a metas intermédias, a Ford quer que, em meados de 2026, todos os carros para passageiros da Ford sejam híbridos com plug-in ou totalmente elétricos. Já no que diz respeito à meta de a gama para passageiros ser totalmente elétrica em 2030, a Bloomberg afirma que é uma das mais exigentes avançadas até agora pelo setor.

“Os consumidores cada vez mais querem que nos tornemos elétricos”, declara o presidente da Ford Europa, Stuart Rowley, que acredita que os clientes estão “muito focados na sustentabilidade”.

Apesar da ambição dos planos da Ford, a marca tem menos a perder em avançá-los na Europa, já que tem desinvestido no Velho Continente nos últimos dois anos, reduzindo o volume de operações. A Ford fechou cinco fábricas, vendeu uma sexta e eliminou mais de 10.000 postos de trabalho desde 2018. Assim, no ano passado caiu para atrás da Toyota e da Fiat no número de vendas, ficando-se pelo nono lugar, de acordo com a Associação de Fabricantes Automóveis Europeus.

As ações da Ford seguem a valorizar 2,1% na pré-abertura de Wall Street, mas já subiram 31% este ano no meio de uma onda de otimismo face aos planos de apostar nos elétricos.